A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DO SOLO NOS ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS SOBRE PARASITOSES INTESTINAIS

Regiane Kikue Saito, André Flávio Soares Ferreira Rodrigues

Resumo


Este trabalho discute a relevância do ambiente na dinâmica epidemiológica das principais parasitoses intestinais no Brasil e ressalta a importância do diagnóstico no ambiente como forma complementar nos inquéritos epidemiológicos. O objetivo do trabalho foi verificar a situação de residentes em locais com deficiência no saneamento básico quanto à prevalência de helmintos intestinais. Para isso, foram realizados exames coprológicos em 33 moradores do bairro Igrejinha, Juiz de Fora (MG) e analisadas amostras de solo de suas residências (n=11) como diagnóstico complementar. Para análise do material fecal, foi utilizada técnica de centrífugo-sedimentação seguida de centrífugo-flutuação. Para análise do solo, utilizou-se centrífugo-flutuação. O exame coprológico apresentou resultado negativo em todas as amostras. Na análise do solo, entretanto, diagnosticou-se contaminação por ovos de espécimes dos gêneros Ascaris (Linnaeus, 1758) (96%), Trichuris (Roederer, 1761) (3%) e um ovo de nematóide da ordem Strongylida. Os laudos coprológicos negativos, em contraponto às análises de solo positivas, mostram que, embora os hospedeiros possam estar momentaneamente livres dos parasitos, ou com baixa intensidade média de infecção, o ambiente continua sendo fonte de contaminação permitindo reinfecção. 


Palavras-chave


Saúde pública; doenças parasitárias; Técnicas e procedimentos diagnósticos.

Texto completo:

PDF