Análise da atuação dos profissionais de Enfermagem no Projeto Montes Claros

João Alves Pereira, José Márcio Girardi de Mendonça

Resumo


A mudança paradigmática no setor saúde, advinda de uma nova proposta do conceito de saúde-doença, proporcionou novos subsídios conceituais que influenciaram a reformulação das práticas de saúde no Brasil e no mundo. O Sistema Único de Saúde (SUS), oficializado em 1988, originou-se desse novo paradigma sanitário e seu processo não-linear de configuração tem em seu cerne um conjunto de ideais contrários à política de saúde vigente na época, denominada Reforma Sanitária (RS). O Projeto Montes Claros (PMC), modelo de extensão de serviços básicos de saúde, desenvolvido na cidade de Montes Claros, Minas Gerais, em meados da década de 70, vinha ao encontro desses ideais da Reforma Sanitária e é considerado inovador, pois ocorreu em período anterior à Conferência de Alma-Ata, que tinha como principal diretriz os cuidados primários em saúde. Para Montes Claros, ocorreu um fluxo intenso de profissionais de saúde e de outras áreas que chegaram a fim de desenvolver suas atividades no projeto. Dessa forma, procurando desvelar quais foram as principais contribuições dos profissionais de enfermagem dentro do PMC, este estudo teve como objetivo analisar a participação dos profissionais de enfermagem no projeto. Para tanto, foi realizado um estudo descritivo-exploratório de cunho qualitativo e que utilizou o método de abordagem da história oral para orientação da coleta de dados. Como instrumento de coleta de dados foi utilizada a entrevista semiestruturada gravada e posteriormente transcrita. O corpus do material reunido foi, então, submetido à análise do discurso. O estudo justifica-se por poder constituir uma fonte de referencial sobre o PMC e por poder contribuir para o enriquecimento das discussões sobre a RS e sobre a atuação dos profissionais de enfermagem no projeto. Do discurso dos entrevistados emergiram três categorias temáticas relativas à atuação dos profissionais de enfermagem no PMC: o enfermeiro e sua atuação na área da saúde pública, o enfermeiro como formador de recursos humanos, e a contribuição do projeto para a criação do SUS. Constatou-se que os enfermeiros executaram funções relativas às atividades de planejamento das ações de saúde do projeto e atuaram na capacitação dos auxiliares de saúde recrutados para operacionalizarem esse novo sistema de saúde em construção. No PMC, surgiu uma nova faceta de atuação da enfermagem, ligada à saúde pública e ao planejamento em saúde, uma vez que, na época, os profissionais dessa categoria tinham o nível hospitalar como o maior campo de atuação. Esse estudo permitiu ampliar a compreensão sobre a atuação da enfermagem dentro do PMC, importante projeto de reorganização dos serviços de saúde, que se caracterizou como uma etapa de destaque na construção do SUS.  


Palavras-chave


Enfermagem em Saúde Pública; Saúde Pública; Reforma dos Serviços de Saúde; Prática Profissional.

Texto completo:

PDF