AVALIANDO AS OFICINAS DE CAPACITAÇÃO DE UM GRUPO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

Isabela Cristina Rodrigues, Nicole Geovana Dias Carneiro, Renilda Rosa Dias

Resumo


Este estudo objetivou desvelar, junto aos agentes comunitários de saúde (ACS), os significados resultantes da participação em uma oficina de capacitação realizada com a utilização do método dialógico. Trata-se de uma investigação descritivo-qualitativa, fundamentada no referencial teórico da avaliação emancipatória, realizada no município de Colina/SP, com 20 ACS. Inicialmente, realizaram-se círculos de discussão com entrevistas coletivas direcionadas por questões da prática de atuação dos sujeitos. A segunda fase caracterizou-se pelo discurso organizado, contemplando os temas geradores que intencionaram compreender a tomada de consciência e explicitação de contradições existentes no processo de trabalho. A terceira fase avaliativa visualizou possíveis mudanças no processo de trabalho. Os resultados apontaram cinco temas geradores: expectativas para a capacitação, estratégias usadas nas capacitações, sentimentos após as capacitações, mudanças impactantes nas visitas domiciliares após capacitações e sugestões para melhorias. Os agentes comunitários relatam suas dificuldades/facilidades e limitações em desenvolverem suas ações, mas isso não inviabiliza o compromisso com o serviço público de saúde no qual trabalham. Ressaltou a autonomia em novas formas de trabalhar e abordar situações de saúde e o âmbito familiar fundamental para o exercício laboral. Assim, apesar dos entraves encontrados, observa-se a persistência dos profissionais no sentido de que sejam implementadas atividades educativas que visem à melhoria da qualidade da assistência e o desejo de que o ACS tenha seu papel reconhecido nesse contexto.

Palavras-chave


Educação em saúde; Saúde da Família; Visita domiciliar

Texto completo:

PDF