A SAÚDE DOS DETENTOS SOB A RESPONSABILIDADE DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA: REALIDADE E POSSIBILIDADES

Gabriela Maria Cavalcanti Costa, Swyanne Macêdo Gois, Gersiane da Silva Lacerda, Djane de Sousa Rodrigues, Suely Matos Celino, Lannuzya Veríssimo de Oliveira

Resumo


Objetivou-se descrever as ações de saúde realizadas para os presidiários e compreender a organização, planejamento e execução desses serviços pelas equipes de saúde da família. Realizou-se estudo qualitativo a partir de entrevistas realizadas com profissionais dessas equipes, em nove municípios sede das gerências regionais de saúde da Paraíba, que tem em seu território de abrangência unidades prisionais.  Da análise dos dados emergiram as categorias: ações de atenção à saúde; planejamento, programação e avaliação; necessidades percebidas; habilidades e competências, e desarticulação dos serviços na atenção à saúde. As ações desenvolvidas, embora desarticuladas, diziam respeito a atividades educativas e assistenciais, mediante necessidades clínicas e campanhas de vacina. Perceberam-se dificuldades metodológicas e operacionais para implantação efetiva de atividades das unidades de saúde nas instituições prisionais. A garantia do direito à saúde, além de ser uma responsabilidade do Estado, representa uma missão e um desafio para todos que acreditam numa sociedade sem excluídos.


Palavras-chave


Saúde da Família; Prisioneiros; Prisões

Texto completo:

PDF