AVALIAÇÃO DO SERVIÇO DE SAÚDE PRESTADO AOS PACIENTES DIABÉTICOS EM UNIDADES DE SAÚDE DE GOIÂNIA, GO

Emmeline Flor Ribeiro, Maria Isabel Caetano de Sousa, Andrea Campos, Sylvia Escher de Oliveira Nielson, Dione Marçal Lima, Mércia Pandolfo Provin

Resumo


O diabetes mellitus é uma síndrome de etiologia múltipla e um dos principais agravos de saúde pública no Brasil. O controle deste agravo nos serviços básicos é fundamental em virtude de sua magnitude crescente, transcendência e complexa vulnerabilidade. O objetivo deste estudo foi avaliar o tratamento e acompanhamento de pacientes diabéticos segundo as recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), em duas unidades básicas de saúde do município de Goiânia/GO. Os dados foram obtidos através da revisão de prontuários médicos referentes ao período de janeiro de 2007 a dezembro de 2009, totalizando 250 prontuários, consolidados no software Epi InfoTM . Houve maior frequência de diabetes mellitus tipo 2 (96,65%) em relação ao tipo 1. Em 78% dos prontuários havia descrição de hipertensão arterial, e destes 77,4% tinham prescrição de IECA, e em 30,4% dos prontuários havia prescrição de AAS. Em média, pequena porcentagem de prontuários atenderam às recomendações da SBD: quase 50% dos pacientes estavam com pressão arterial controlada na unidade UBESF “A” e 35% na unidade UBESF “B”; cerca de 25% estavam com LDL inferior a 100mg/dL em ambas unidades, e aproximadamente 25% dos prontuários da unidade UBESF “B” tinham HbA1c inferior a 7%, e 18% na UBESF “A”. Quanto ao estudo de utilização de medicamentos, 41,1% dos prontuários tinham prescrição de metformina e um secretagogo, e apenas 20,4% dos pacientes com HbA1c>9% tinham prescrição de insulina.


Palavras-chave


Diabetes Mellitus; Hipoglicemiantes; Registros Médicos.

Texto completo:

PDF