AVALIAÇÃO CLÍNICA E NUTRICIONAL DE IDOSOS CADASTRADOS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA WARISLÂNDIA, ESTADO DO PARÁ.

Vinicius Costa Souza, Paulo Henrique Barbosa de Araújo, Cláudia Daniele Tavares Dutra, Carla Andrea Avelar Pires, Josiane Moreira Caldas, Ather Barbosa Figueiredo

Resumo


Resumo

Cada vez mais cresce o índice de idosos no mundo. As pessoas estão vivendo por mais tempo ocasionando mudanças importantes e eminentes em diversos setores da sociedade. Esta aproximação do limiar vital deve-se, principalmente, ao avanço tecnológico da medicina e às mudanças nos hábitos de vida. Dessa maneira, a descrição do perfil clínico e nutricional de idosos disponibiliza subsídios para o planejamento local de ações de saúde e, por conseguinte, contribui para um envelhecimento mais ativo e saudável. Estudo de corte transversal com 83 idosos realizado em uma Estratégia Saúde da Família (ESF) no município de Ananindeua, Estado Pará, no período de setembro de 2010 a janeiro de 2011. Foi aplicado um protocolo de pesquisa com informações sobre as variáveis sóciodemográficas, clínicas, hábitos de vida (etilismo, tabagismo e sedentarismo) e uso de medicamentos. Para análise estatística foi usado o software Epi Info 5.3.2. Dos idosos avaliados, 62,6% eram do sexo feminino e a média de idade dos entrevistados foi de 69,3 anos. Em relação ao estado civil dos idosos, 37,3% eram casados e 27,7% viúvos. Quanto à naturalidade, 77,1% eram paraenses e havia apenas 13,3% maranhenses. As doenças referidas mais prevalentes foram a hipertensão arterial sistêmica (60,2%), artrose (32,5%), AVC (16,9%) e osteoporose (14,4%). Em relação aos hábitos de vida, 13,2% eram etilistas, 18,1% eram fumantes e 73,8% não praticavam exercícios físicos. Dos entrevistados, 68,7% realizavam uso regular de medicamentos. Observou-se que das comobirdades analisadas, o número de hipertensos foi expressivo. Verificou-se que 38,5% dos idosos encontravam-se no intervalo de normalidade (adequado ou eutrófico) para o IMC, uma quantidade expressiva dos entrevistados (44, 6%) estavam com sobrepeso o que fornece indicadores para o planejamento de ações de prevenção de doenças e agravos e a busca pela promoção da saúde dos idosos nas microáreas da Estratégia Saúde da Família.


Palavras-chave


Idoso; Saúde da Familia

Texto completo:

PDF