ATENDIMENTO SEQUENCIAL MULTIPROFISSIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM ASMA EM UM SERVIÇO DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Maria Lucia medeiros Lenz, Elineide Gomes Camillo, Daniel Demétrio Faustino Silva, Norma Beatriz Vieira Pires, Rui Flores

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi avaliar o impacto de um modelo seqüencial de atendimento a crianças e adolescentes com asma em uma unidade de atenção primária à saúde. Foram acompanhados no ano de 2012, 89 usuários entre 4 meses e 15 anos de idade com diagnóstico de asma. Estes usuários foram agendados para consultas seqüenciais de atendimentos de 15 minutos com profissionais de diferentes categorias e foram vistos em intervalos de 3-4 meses, priorizando-se aqueles com história de internações e consultas extras frequentes. Os objetivos específicos e métodos de cada atendimento foram pactuados e definidos previamente. A avaliação da estratégia foi realizada através de um estudo retrospectivo analítico longitudinal com base nos registros de prontuários e do Sistema de Informação em Saúde (SIS) do GHC. Foram analisados questionários aplicados na primeira e última consulta médica. As informações foram digitadas em um banco de dados em excel e avaliadas a partir de testes estatísticos de McNemar e Wilcoxon através do Programa SPSS. Entre os 89 usuários atendidos, 80 (90%) aderiram ao modelo de atenção e 44 (49%) obtiveram melhor nível de controle da asma (p =0,001). Apenas 4 (5%) foram acompanhadas também por pneumologista.  As famílias dos usuários (19 vs 80) passaram a utilizar um plano de ação escrito para tratamento dos sintomas e mais usuários fizeram uso de corticóide inalatório (14 vs 61), evidenciando melhores resultados (p=0,001 para ambos). A redução de idas a emergência (127 vs 39) e internações por asma (14 vs 1) após intervenção foi também significativa (p=


Palavras-chave


Asma, Equipe de Assistência ao Paciente, Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF