A SÍFILIS CONGÊNITA COMO INDICADOR DA ASSISTÊNCIA DE PRÉ-NATAL NO ESTADO DE GOIÁS

Ellen Márcia Alves Rezende, Nelson Bezerra Barbosa

Resumo


A incidência da Sífilis Congênita (SC) no Estado de Goiás persiste como um desafio para a saúde pública, refletindo na qualidade da assistência de pré-natal. O objetivo geral da respectiva pesquisa foi: analisar a SC como indicador da assistência de pré-natal no Estado de Goiás no período de janeiro de 2009 a dezembro de 2012. A pesquisa foi descritiva, com abordagem quantitativa e de coleta retrospectiva em fontes secundárias: Sistema de informação do Pré-Natal, Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Sistema de Informação de Nascidos Vivos e Sistema de Informação de Mortalidade. A amostra populacional da pesquisa incluiu todas as gestantes que realizaram a triagem pré-natal, de acordo com o Programa de Proteção à Gestante do Estado de Goiás, e todos os casos de SC diagnosticados e/ou notificados no período. A análise dos resultados encontrados evidencia várias falhas na assistência de pré-natal e nas ações de vigilância em saúde, que favoreceram a incidência da SC no Estado de Goiás. Caracterizada pela ocorrência da transmissão vertical da sífilis, devido ao tratamento em gestante inadequado, parceiros não tratados e subnotificação de casos existentes. Foram encontrados, no período avaliado, 3.382 casos de sífilis em gestante e 296 casos de SC, apresentados por regiões de saúde. A implementação do planejamento familiar, o aprimoramento da assistência de pré-natal e da vigilância em saúde e a estruturação da educação permanente das equipes de saúde são medidas efetivas para a eliminação da SC no Estado de Goiás. 

 


Palavras-chave


Palavras-chave: Saúde Pública. Assistência de Pré-Natal. Vigilância em Saúde.

Texto completo:

PDF