ACESSO AO DIAGNÓSTICO DA TUBERCULOSE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Alcivan Nunes Vieira, Deivson Wendell da Costa Lima, Jéssika Barbosa de Souza, Andreza Carla Queiroz Bezerra Leite, Carla Patricia Pereira de Medeiros, Hugmara Araújo da Fonseca

Resumo


Esta pesquisa objetivou descrever o acesso ao diagnóstico da tuberculose na Atenção Primária à Saúde. Os sujeitos foram pacientes com diagnóstico de tuberculose em situação de internação hospitalar. Os dados foram produzidos através de um formulário voltado para a caracterização dos pacientes e de uma entrevista semi-estruturada com as seguintes questões: Como você descobriu que estava com tuberculose? Como foi o acesso aos exames que diagnosticaram a doença? A análise dos dados foi quantitativa frequencial para os dados obtidos no formulário, e para a entrevista semi-estruturada foi aplicada a análise de conteúdo de Bardin. Identificou-se que o primeiro nível de assistência procurado por 57% dos pacientes foram as unidades de Atenção Primária à Saúde; quanto ao diagnóstico da doença, para 43% dos pacientes ele foi realizado em alguma clínica privada não conveniada com o SUS; o mesmo percentual teve o diagnóstico confirmado no serviço especializado em doenças infectocontagiosas e em algum serviço de pronto atendimento. Em apenas 14% dos casos o diagnóstico aconteceu na APS. O acesso ao diagnóstico da tuberculose na Atenção Primária à Saúde encontra-se deficiente, o que contribui para que o tratamento seja retardado e a disseminação da doença não seja contida.

Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Doenças Transmissíveis; Tuberculose.

Texto completo:

PDF