DIREITO À SAÚDE, ACESSO E INTEGRALIDADE: ANÁLISE A PARTIR DE UMA UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA

André Luis Alves de Quevedo, Eloá Rossoni, Luciane Maria Pilotto, Márcia Regina de Oliveira Pedroso, Pauline Müller Pacheco

Resumo


O objetivo do estudo foi analisar a organização do sistema de referência à Atenção Secundária em Saúde de uma Unidade de Saúde da Família do Rio Grande do Sul, a partir dos conceitos de direito à saúde, acesso e integralidade. Trata-se de uma pesquisa com dados quantitativos e qualitativos, realizada de julho a outubro de 2012, que utilizou como método o estudo de caso. No estudo quantitativo foi realizada uma análise dos registros do período de 2002 a 2011 dos encaminhamentos à Atenção Secundária em Saúde. As frequências relativas e absolutas, e medidas de tendência central das variáveis estudadas foram calculadas e analisadas no pacote estatístico SPSS, versão 18.0. Os dados qualitativos foram produzidos por meio de entrevistas semiestruturadas com 08 usuários. As entrevistas foram transcritas e submetidas à análise temática. Os resultados demonstram que 38,3% dos usuários esperaram cerca de 30 dias pelo atendimento, e em até 6 meses 84,9% desses tiveram seu encaminhamento atendido, variando entre as especialidades. Os usuários reconhecem seu direito à saúde, no entanto, apontam o tempo de espera como entrave da integralidade e do acesso; e identificam os fluxos de encaminhamentos na rede de saúde. Conclui-se que é necessário fortalecer a rede de atenção em saúde, com melhor controle das listas de espera, concretizando o direito à saúde, a integralidade e o acesso do usuário ao Sistema de Único de Saúde.


Palavras-chave


Direito à Saúde; Acesso aos Serviços de Saúde; Integralidade; Saúde da Família; Atenção Secundária à Saúde.

Texto completo:

PDF