A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE COMO BASE DA PRECEPTORIA NA FORMAÇÃO TÉCNICA DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

Mariana Lima Nogueira, Maria Gilda Alves de Oliveira, Ana Paula Morel, Márcia Cavalcanti Raposo Lopes

Resumo


No presente texto entendemos Educação Popular em Saúde (EPS) como perspectiva teórica e prática orientada para o trabalho social emancipatórios direcionada à promoção da autonomia das pessoas e à superação das desigualdades sociais. Imbuída da crítica ao autoritarismo da ciência e voltada para escuta e valorização do saber popular, compreendemos que a EPS é importante instrumento teórico-prático para construção do Sistema Único de Saúde (SUS). Este texto tem como objetivo relatar a experiência do processo de construção da EPS como eixo transversal do curso técnico de agente comunitário de saúde (CTACS), a partir da preceptoria, experiência datada dos anos de 2013 e 2014. Foram utilizadas como fonte a experiência dos preceptores, docentes e coordenador de curso, registros nos diários de classe, documentos de planejamento das unidades curriculares, atas das reuniões de planejamento e dos conselhos de classe, termos de referência e parte da produção dos próprios alunos. Buscou-se identificar duas dimensões: o processo educativo dos alunos, considerando não só a apropriação dos saberes técnicos, mas fundamentalmente, à integralidade de sua formação; e os efeitos pedagógicos percebidos no desenrolar do CTACS. A convivência cotidiana e a confiança estabelecida entre preceptores e educandos do curso permitiram desenvolver uma série de discussões políticas que contribuíram para a politização dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) em relação às questões do seu próprio trabalho, como também em relação às questões do contexto sócio-político mais geral, compreendendo a saúde como parte desse contexto. Nesse processo, vimos também como foi fundamental a discussão sobre o papel do ACS, incentivando sua atuação como educador popular, o que se deu não apenas através de discursos sobre educação popular, mas através de prática educativa do curso potencializada pelos preceptores. Acreditamos que isso resultou em um aumento da auto-estima dos agentes, permeado pela valorização de seu trabalho, o que passou pela compreensão da importância deste para o SUS.


Palavras-chave


Educação popular em Saúde; Agente Comunitário de Saúde; Preceptoria; Formação Técnica

Texto completo:

PDF