Acolhimento: concepções, implicações no processo de trabalho e na atenção em saúde

Lêda Maria Leal de Oliveira, Andréa Simoni Manarin Tunin, Fernanda Cristina da Silva

Resumo


O estudo foi produzido a partir de dados da pesquisa “O Acolhimento em uma Unidade Básica
de Saúde da Família: reorganização do processo de trabalho e qualidade da
atenção”. Este artigo, que se constitui na análise de dados parciais da
pesquisa, tem como objetivo identificar as concepções dos profissionais sobre o
significado do acolhimento e as implicações desta prática no processo de
trabalho e na atenção à saúde prestada aos usuários. Trata-se de um estudo
qualitativo realizado na Unidade Básica de Saúde da Família de Progresso – Juiz
de Fora/MG. Os sujeitos da pesquisa constituíram-se nos trabalhadores de saúde
e residentes do Programa de Residência em Saúde da Família – Médicos,
Enfermeiros, Assistentes Sociais, Auxiliares de Enfermagem e Agentes
Comunitários de Saúde – da referida Unidade que foram abordados através de
entrevistas semi-estruturadas. Utilizou-se, ainda, como técnica complementar a
observação participante. Os dados sinalizaram que o acolhimento tem se
constituído em um permanente desafio, repleto de
tensões. Porém, tem contribuído para uma (re)significação do processo de
trabalho e impactado de forma positiva a atenção à saúde dos usuários.


Texto completo:

PDF