BARREIRAS A REALIZAÇÃO PERIÓDICA DO PAPANICOLOAU: ESTUDO COM MULHERES DE UMA CIDADE DO NORDESTE DO BRASIL

Maria Albertina Rocha Diógenes, Roberta Jeane Bezerra Jorge, Luis Rafael Leite Sampaio, Franscisco Antonio da Cruz Mendonça, Lucijane Leite Sampaio

Resumo


 

Objetivou-se compreender quais as barreiras que levam as mulheres de uma cidade do Nordeste do Brasil a não realizarem o exame Papanicolaou periodicamente. Estudo descritivo, qualitativo, desenvolvido na Estratégia Saúde da Família de Caio Prado, em Itapiúna-Ce, com 83 mulheres de uma cidade do Nordeste do Brasil, através de uma entrevista semiestruturada, no período de setembro a novembro de 2008. Os dados foram coletados através de entrevista semiestruturada, contendo questões norteadoras analisadas de acordo com Bardin. Os resultados foram organizados nas temáticas: Barreiras à realização periódica do Papanicolaou dadas por mulheres de uma região do Nordeste do Brasil e Dificuldades do serviço de saúde à realização do Papanicolaou dadas por essas mulheres. Dentre as barreiras e dificuldades relatadas pelas entrevistadas para a realização do Papanicolaou ressalta-se a falta de motivação e de interesse em realizar o exame, muitas vezes pela sobrecarga do cotidiano. Assim, os gestores devem se preocupar com a excelência desses serviços de saúde e com a capacitação dos profissionais para desenvolverem atividades técnicas e de educação em saúde com vistas à transformação e ao controle dessas mulheres, permitindo, assim, uma melhor compreensão da importância da adesão ao Papanicolaou.


Palavras-chave


Esfregaço vaginal; Periodicidade; Saúde da mulher

Texto completo:

PDF