A função gerencial do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: limites e possibilidades

Lucélia Terra Jonas, Hugo Cardoso Rodrigues, Zélia Marilda Rodrigues Resck

Resumo


Este estudo objetivou compreender e analisar os limites e as possibilidades do processo de trabalho gerencial do enfermeiro na equipe do Programa Saúde da Família. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, fundamentada na dialética materialista. Os sujeitos participantes da pesquisa foram os profissionais de duas equipes de Saúde da Família do município de Alfenas-MG, totalizando 15 sujeitos. As categorias empíricas identificadas foram: o processo de trabalho gerencial do enfermeiro definindo-se como subcategoria “gerência da assistência ao usuário/gerência do serviço de saúde”; competências gerenciais do enfermeiro com as subcategorias de “delegação de tarefas”, “trabalho em equipe” e “comunicação”. Os resultados apontam que o enfermeiro assume o papel de gerente, coordenando, administrando e gerenciando o trabalho das Unidades de Saúde da Família (USF) e dos membros da equipe, olhando não só para o trabalho da equipe de enfermagem e dos agentes comunitários de saúde (ACS), mas ampliando este olhar para toda a equipe multiprofissional. Por desenvolver a função de gerente do serviço de saúde, há uma sobrecarga de atividades de cunho burocrático, ocasionando um distanciamento da assistência direta aos usuários, que lhe é própria. Assim, o desenvolvimento e aprimoramento de competências gerenciais, bem como de estratégias que possibilitem o envolvimento de todos os membros da equipe favorecem a efetividade na produção do cuidado, sendo evidenciada pela integralidade das ações de atenção à saúde da população.


Palavras-chave


Programa Saúde da Família, Gerência, Enfermagem, Competência Profissional.

Texto completo:

PDF